CLICK HERE FOR FREE BLOGGER TEMPLATES, LINK BUTTONS AND MORE! »

segunda-feira, dezembro 27, 2010

Nollaig Shona Duit*

Hoje é dia 27 de Dezembro. E aí que estou há 2 dias pensando sobre o que escrever sobre o Natal desse ano. 

Pensei em começar pela viagem de carro à Killarney que levou pouco mais de 6 horas, por paisagens que eu nunca tinha visto tão brancas. Ou pela falta que eu senti de comemoração na véspera, de rabanada e bolinho de bacalhau, e da minha mãe me mandando parar de comer antes da ceia. Ou da quantidade de bebida sem álcool comprada especialmente pra mim. Ou pelos meus sogros e cunhados que receberam meu amigo C. com tanto carinho.

By the way, abro um parênteses para escrever que ainda espero o dia em que vou descobrir que os Sorensen são na verdade grandes atores, encenando um filme de família fofa e feliz onde todo mundo se ama de verdade e se respeita em tempo integral. 

Além de não ter rabanada, nem bolinho de bacalhau (nem arroz), o Natal em Killarney não tem bitchiness, ninguém fala mal de ninguém, ninguém reclama (escondido claro) dos presentes que ganhou. Pelo menos não que eu saiba. Ninguém nem briga pelo controle remoto. Depois da ceia, servida lá pelas 4 da tarde, todo mundo acaba assistindo aos mesmos programas de TV, provavelmente ano após ano, juntos. E depois todo mundo brinca de mímica (menos eu que me recuso a participar de qualquer espécie de jogo ou competição), e todo mundo termina a noite em meio a violões e cantorias. Ou seja, não parece em nada com os meus Natais no Brasil.

Daí eu percebi que não quero escrever sobre nada disso. Mas também não queria deixar passar em branco o meu primeiro Natal de mãe, ainda sem o filho, mas mãe.

Na falta do que escrever sobre, ficam as poucas fotos do 25 de Dezembro mais feliz de todos os tempos:

As montanhas de Killarney cobertas de neve

De pijama, esperando para abrir meus presentes

Fotografando o presépio da sogra...

... e sendo fotografada ao mesmo tempo

C. e eu, esperando o peru

Família reunida

Depois da difícil tarefa de montar o quebra-cabeça que ganhei no meu Christmas cracker

Viu?

Cerveja sem álcool

Pratos de papel na falta de água...

... que I. fez questão de limpar

Volto amanhã, de Dublin, para escrever sobre os presentes que eu ganhei. Eu sei que vou ser mãe, mas não deixei de ser ainda, lá no fundo, uma criançona.

N.

* Feliz Natal em gaélico.

5 comentários:

cesarbardo disse...

Queria dizer que foi o mais feliz de todos os tempos pra mim também! =D Mesmo você não brincando de charada! aheheahea! =D

Obrigado demais! =D Felicidades sempre! =D

E vida longa à família Sorensen! =D Uma pessoa delícia que nem você só poderia se enfiar numa família igualmente deliciosa! =D

Cath disse...

Nossa parece eu mas eu me escondo do poker de moedinhas da queen bee hahaha, q tb considero uma super vo para mim. Eu amo Killarney, com certeza ano que vem eu voltarei para passear mais la.
Amei as fotos e eh legal esse sentimento de familia gente boa no natal,eu tb sinto isso aki.
Agora, bora para 2011 e comecar a contagem regressiva para um novo sorensen!! Bem vindo Erik!!

bjusss

Gisley Scott disse...

Que Natal lindo! Essa descrição da cidade me encantou muito! Ainda existe lugar assim na terra, meu Deus!

Gostei muito de ver todo mundo de crown.Seus in-laws me parecem ser genuine.Não sei, mas deu pra captar isso na foto. Pra mim pareceu que foi o Natal perfeito!

Eu queria que os meus in-laws fossem unidos e participativos assim.Mas in-laws é que nem loteria.É sorte.

Bjos!

K∂riиє* Smith. disse...

Olha, vc está linda com a pancinha em evidência!
Meu Natal foi lindo, seria mais se ao invés de passar com meus sogros eu tivesse passado com meus pais, mas tudo bem...tô até gostando da minha sogra ultimamente...deve ser o espirito natalino...hohoho

beijooo

cintia disse...

voce ta com um barrigao LINDO!
feliz 2011!