CLICK HERE FOR FREE BLOGGER TEMPLATES, LINK BUTTONS AND MORE! »

segunda-feira, abril 19, 2010

7 por 5

"Eu sempre imaginei que o paraíso deve ser algum tipo de biblioteca."
. Jorge Luis Borges . 


Eu sinto um prazer indescritível ao comprar livros. Quase comparado ao de lê-los, e infinitamente maior do que o de comprar sapatos. 

Quando decidi vir pra Dublin no ano passado vendi os meus. Eram uns 500 ou 600, talvez mais, entre literatura e História. Não foi fácil (chorei quando vi as prateleiras vazias), sabia que eventualmente me arrependeria (de fato), mas precisa ser feito. Um, porque eu tinha a sensação de que aquela vida já ficava pra trás. Dois, porque eu precisava de dinheiro para a viagem. 

Restaram alguns poucos. Alguns porque ainda não tinham sido lidos e ainda queria lê-los. Outros, porque com certeza vão ser lidos mais outras tantas vezes. E outros por razões sentimentais. Desses, alguns eu trouxe comigo esse ano, outros ainda aguardam na casa da minha mãe. 

Os que vieram moram numa pequena estante, aqui ao lado do computador, na sala do apartamento da Waterloo Rd. São vizinhos dos livros de I., que divide a paixão comigo, e dos livros que comprei aqui na Irlanda, não muitos, apesar de tão acessíveis. 

Faço listas mentais dos próximos a serem lidos (e comprados), mas elas mudam tanto quanto o tempo na Irlanda, que by the way, deve estar no "shuffle" (saí de casa hoje tremendo de frio e voltei suando com o casaco na mão)

No sábado terminei "1808: Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a história de Portugal e do Brasil.", de Laurentino Gomes. 

Li uma resenha sobre ele quando estava no Brasil e achei interessante. Comprei. Aí me decepcionei um pouco por ele ser jornalista e não historiador. Ou seja, bem pesquisado e escrito, mas sem nenhuma análise histórica, ou novidade. Mas enfim, me distraiu por alguns dias. 

Ontem, querendo começar algo novo, me vi sem opções, mesmo com várias opções. Comecei "Deus, um delírio" (Richard Dawkins). Ou melhor recomecei, já que esse foi um dos que eu salvei da minha biblioteca porque ainda não tinha terminado de ler. Ainda estou lendo, mas preciso de algo light para minhas noites, antes de dormir. Sabe como eu sou, "penso, logo não durmo", então preciso de alguma coisa bem silly só para relaxar. O que for mais denso, eu guardo para minhas tardes de ócio produtivo. 

Tinha a opção de ler os vários da Agatha Christie que eu ganhei de Natal (e outros que andei comprando), mas já li dois na sequência e queria variar um pouquinho. Tinha também o novo da autora de "The Time Traveler's Wife", que eu também ganhei de Natal, mas que estou guardando para uma outra hora (que eu ainda não sei qual). E tinha também... Tinha vários. 

Aí, eu que normalmente não gosto de literatura de menina (ou chick-lit, como você preferir) me vi terminando a noite com "Sushi for beginners" da Marian Keyes. Que em minha defesa, eu não comprei. C. me deu, depois que leu, e eu fiquei com dó de jogar fora. 

I. sugeriu que eu comprasse novos livros (já que estava reclamando que não tinha o que ler), mas eu prometi a mim mesma que vou terminar os que tenho (e que não são muitos) antes de comprar qualquer outro. 

Quer saber quanto tempo eu vou levar para quebrar a promessa? Bom, já quebrei. Mas foi praticamente impossível resistir. Eu conto como. 

Primeiro preciso contar que eu quero todos os livros da Agatha Christie. Porque eu adoro ler Agatha Christie e também porque as capas são lindas (eu sei, eu sei)! E porque eles custam baratinho aqui também, oito euros e pouco cada um. 

Enfim, estava eu hoje andando pela Grafton (indo ao escritório da imigração solicitar um documento), quando vi na vitrine de uma livraria uma caixinha com 7 livros da Agatha Christie (Seven Deadly Sins - Seven Motives for Murderer), por, suprise, surprise, 5 euros!! Dos 7 livros, só um eu já tinha. O preço original da embalagem (que está lacrada, é novinha) é de 40 libras. 

Falhei, mas voltei pra minha casa feliz da vida com meus livros novos. 

N



p.s. ter ido a imigração não adiantou nada, mas who cares?

6 comentários:

K∂riиє* Smith. disse...

Eu adoro Agatha Christie, acho que leio esses livros desde os meus 11 anos, da coleção do meu pai.

Eu não vivo sem ler, tô sempre lendo e agora a minha mania é ler mais de um ao mesmo tempo!

O bom é que quando você acabar, como você é uma pessoa muito boa e legal, vai me emprestar, certo?


Por mim está de pé sim, manda seu telefone pra mim !

beijos

Ana Flavia disse...

ai, eu tb tb adoro livros e a Agatha. Li toda a coleçao dela em Portugues. Depois, vo ver se leio no original. Essa sua compra foi um achado, ne. Eu amo do paixao o preco dos livros camaradas ai an Irlanda.
bjo

Sandre disse...

sabe que eu até vejo você com os olhinhos brilhando quando viu esses livros? ahahaha. saudades master de vc! bjos.

Patricia disse...

Nívea,
Sabe que tive uma sensação parecida quando li "1808". Fiquei ligeiramente frustrada.
Gostei bem mais de Era no tempo do rei, do Ruy Castro. Mas o Ruy Castro é o Ruy Castro...
Obrigada pelo convite para o chá, café e pint. Vamos beber de todos um pouco.
Patricia

Descrovi, André disse...

dawkins é o jesus dos ateus...tão fundamentalista quanto um evangélico!

lembra quando você comprou o livro da marie kayes e eu e o felipe ficamos te zuando muito?

hahahahah
beijos e saudade!

Nivea Sorensen disse...

André,

Verdade, o tom do Dawkins está me irritando muito. Não consigo avançar.

hahaha... sim, eu lembro, quase postei sobre isso. Lembro de vcs dois me aloprando durante semanas. E lembro tb q a capa do livro virou proteção de tela no computador da sala dos professores e que todo mundo soube que eu tinha comprado um livro de menina.

saudades de vc tb.